Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Recife é líder nordestino em voos diretos para o exterior


Até o final do ano, será possível viajar do Aeroporto do Recife direto para Munique, Madri e Bogotá. E o Governo de Pernambuco ainda vai anunciar a conexão com mais três destinos internacionais no início de outubro. É um aumento de quase 70% na malha aérea internacional do estado, que, assim, se consolida como a principal porta para o exterior no Nordeste brasileiro. 

Hoje, o Aeroporto Internacional dos Guararapes tem voos diretos para nove cidades do exterior - Lisboa, Montevidéu, Buenos Aires, Cabo Verde, Frankfurt, Cidade do Panamá, Miami, Milão e Orlando. Mas, com as novas conexões, esse número vai passar para 15. É quase o dobro do segundo maior terminal nordestino em termos de ligações internacionais: Fortaleza, que tem oito rotas.

“Nos últimos dois anos e meio, elevamos em 200% o número de destinos internacionais, saindo de quatro para 12. E, até 10 de outubro, vamos anunciar três novos destinos na América do Sul”, antecipou o secretário de Turismo de Pernambuco, Felipe Carreras, dizendo que, com o aumento de voos internacionais e também nacionais, o terminal pernambucano também já registra a maior movimentação de passageiros do Nordeste.

Em julho, por exemplo, Recife apresentou a nona maior movimentação do Brasil, com um aumento de 10,29% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo a Secretaria Nacional de Aviação Civil. “Ultrapassamos Salvador, isso nunca tinha acontecido”, vibrou Carreras, explicando que, mesmo com a crise, 500 mil novos passageiros passaram por Recife entre agosto e julho deste ano.

Segundo o secretário, além de facilitar as viagens dos pernambucanos, esse incremento na malha aérea internacional é importante para a economia local porque ajuda a atrair turistas para o estado. “Não há como se consolidar turisticamente sem ter conectividade. Afinal, 70% dos turistas que viajam pelo mundo viajam de avião”, argumentou, lembrando que o turismo movimenta cerca de R$ 6 bilhões, ou 4% do Produto Interno Bruto (PIB) em Pernambuco, por ano.

E a aviação representa grande parte dessa movimentação. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só em 2015, aviação e os setores que ela impulsiona geraram 216 mil empregos em Pernambuco, pagando R$ 2 bilhões em salários. 

América do Sul

Carreras não pôde dar mais detalhes das novas rotas sul-americanas porque os detalhes dos contratos ainda estão sendo fechados. Ainda não se sabe, por exemplo, se todas elas começarão a operar em 2017. O que está certo é que a venda das passagens começa ainda neste ano. O secretário só explicou que, agora, o Governo vai focar na América do Sul porque as conexões com este continente têm trazido bons retornos para Pernambuco.

“Em média, em um voo para os Estados Unidos, só 10% dos passageiros são estrangeiros. Para a Europa, esse número é de 20% a 25%, ou seja, são voos mais emissivos. Já um voo da Argentina traz 80% de turistas, e este volume impacta o movimento de pousadas, hotéis, restaurantes”, revelou Carreras, dizendo que o número de argentinos que vêm ao Recife disparou no último ano graças aos novos voos Recife-Buenos Aires. “Multiplicou por seis, saindo de 20 mil para 120 mil”, contou, com a expectativa de ter números semelhantes nas rotas que serão anunciadas em outubro.



fonte: folhape

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:


SHARE
Banner

Comentar: