Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Companhias aéreas estão criando suas próprias cervejas


Quem aprecia cerveja sabe que não pode embarcar em voos com muita expectativa, pois, na grande maioria das vezes, só serão encontradas cervejas de grandes marcas - e algumas vezes em temperatura indesejada. Pensando nisso, algumas poucas companhias aéreas estão aprimorando a experiência de quem gosta da bebida, criando-as em pleno voo, segundo a CNN.

A Scandinavian Airlines foi a primeira a tomar a iniciativa, em 2014, fazendo uma parceria com a cerveja dinamarquesa Mikkeller e desenvolvendo-as especialmente para a altitude . Desde então, a companhia aérea introduziu uma dúzia de rótulos especiais em rotas ao redor do mundo.

Já a KLM, em conjunto com a Heineken, serviu chope na classe executiva no ano passado, após desenvolver uma tecnologia que utiliza pressão para bombear a cerveja, já que dióxido de carbono é muito perigoso para levar em uma aeronave.

A companhia mais recente a adotar a novidade foi a Cathay Pacific. Em colaboração com a chinesa Hong Kong Co., criou a Betsy Beer, que agora está disponível na cabine premier de alguns voos selecionados de Hong Kong para o Reino Unido.

As condições de cabine, como pressão, oxigênio e umidade, podem afetar e muito o sabor da bebida. Com apenas 6 a 10% de umidade a dez mil metros de altitude, um voo longo chega a ser mais seco que muitos desertos. Gostos salgados e doces não são tão impactados, mas os amargos sim. “Em um avião, perde-se de 15 a 30% do senso de olfato e paladar”, conta o especialista na indústria de Turismo, Nik Loukas.

“Nossas cervejas artesanais tornaram-se uma parte importante do nosso serviço e é ótimo ver que outras companhias aéreas estão seguindo os mesmos passos”, comenta o chef e gerente de planejamento de refeições da Scandinavian Airlines, Peter Lawrence.

Segundo o fundador da marca Mikkeller, Borg Bjergso, foram feitas diversas degustações para entender quais ajustes seriam necessários para a criação de uma cerveja a bordo. “Levamos um bom tempo para entender completamente o que acontece com a bebida em grandes altitudes.” A primeira vez que tentaram, foi usado gelo seco para gelar, mas o resultado não foi muito bom.

Até o momento, a companhia criou 11 rótulos e tem outras seis nos planos. “Veremos muitas outras colaborações deste tipo no futuro. Já está em tempo de outras empresas aéreas começarem a criar suas próprias cervejas e vinhos”, diz Loukas. Essa tendência ajudará a melhorar a experiência do viajante que, com certeza, falará, após o voo, sobre a cerveja a bordo que tomou.




fonte: panrotas via CNN
SHARE
Banner

Comentar: