Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

De acordo com a ABEAR, setor aéreo responde por 4,2% da produção econômica do estado do Rio de Janeiro


Um estudo inédito da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), com a colaboração da GO Associados, mostra que o transporte aéreo contribui com 4,2% da produção total do Rio de Janeiro, ou o equivalente a R$ 45,8 bilhões. Nesse valor, está incluída a receita das companhias aéreas (transporte de passageiros e cargas) e de seus fornecedores, mais o turismo viabilizado pelo setor aéreo. Também entra na soma o consumo familiar dos trabalhadores que integram essa cadeia. A parcela é superior à contribuição do setor medida no plano nacional, estimada em 3,1% do total da produção brasileira.

Além disso, a aviação e os setores que ela impulsiona geraram 988,7 mil empregos no Rio de Janeiro em 2015, com o pagamento de quase R$ 9,1 bilhões em salários. O setor aéreo contribui também com a arrecadação de R$ 3,9 bilhões em impostos no estado.

O estudo tem como objetivo medir o impacto da aviação na economia nacional e em todos os estados brasileiros, mais o Distrito Federal. O levantamento tem como base o ano de 2015 e usa fontes públicas, tais como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Em termos relativos, para cada R$ 1 que a aviação adiciona à produção econômica do estado, R$ 5 são gerados em produção na cadeia do turismo catalisado pelo modal de transporte. No tocante aos empregos, para cada posto de trabalho ocupado na aviação, 8 outras pessoas são contratadas no turismo derivado do Rio de Janeiro.

“Olhando dessa forma fica bem fácil perceber como estímulos ao setor aéreo se espalham e se multiplicam pela economia. Aqui mostramos esse efeito multiplicador no turismo, mas essa mesma lógica vale para outros setores, como o de comércio, para não falar nos benefícios de uma maior conectividade doméstica e internacional. A aviação tem essa característica de criar e reforçar ciclos virtuosos de desenvolvimento”, explica o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz.

O Rio de Janeiro contribui com 11,46% do total de embarques anuais em voos domésticos, parcela superior à participação de sua economia na produção brasileira, de 10,94%. A quantidade de viagens aéreas entre os cariocas é de 0,67 embarque por habitante, superior a média do país, de 0,47.

O estado apresenta altíssima densidade populacional e detém a terceira maior economia da federação, com produção per capita 30% acima da média nacional e grande destaque para os setores industrial e de serviços. Estes fatores se associam a uma movimentação turística muito significativa. A penetração do transporte aéreo de passageiros, como seria esperável, resulta bastante acima da média nacional. O transporte de carga, por outro lado, é relevante, mas com números inferiores aos da atividade de passageiros.

“A tributação sobre o combustível de aviação, próxima da alíquota mínima, é adequada para a estrutura de custos do país e contribui inequivocamente para os resultados encontrados. Sem dúvidas, a aviação tem participação muito importante na produção estadual, acima da média brasileira, e proporciona inegáveis benefícios sociais e econômicos para o estado”, afirma Maurício Emboaba, consultor técnico da ABEAR.

ABEAR no IBAS 2017

A ABEAR foi criada em 2012, pelas cinco principais companhias aéreas brasileiras - AVIANCA, AZUL, GOL, TAM (hoje LATAM) e TRIP (atualmente associada à AZUL) -, com a missão de estimular o hábito de voar no Brasil. Objetivando tratar de questões institucionais do setor aéreo, as estratégias de atuação da ABEAR compreendem planejar, implementar e apoiar ações e programas que promovam o crescimento da aviação civil de forma consistente e sustentável, tanto para o transporte de passageiros como para o de cargas.

O presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz, estará no IBAS 2017 dia 31 de março, no LANDINGS LATIN AMERICA & IBAS, explanando sobre oportunidades e perspectivas do ramo de transporte aéreos, a economia do turismo na América Latina e a indústria do turismo no Brasil.

Sobre a IBAS – International Brazil Air Show

Com o objetivo de reunir em um só lugar os maiores players do setor de aviação e infraestrutura aeroportuária, o IBAS promove melhorias para o mercado. Em sua primeira edição, o investimento será superior a 3 milhões e irá congregar importantes agentes para discutir as perspectivas e soluções para o setor aéreo que, no Brasil, contribui com 1,3% do PIB, além de ser responsável por cerca de 1,6 milhões de empregos, incluído o trade turístico. O IBAS contará com uma programação desenvolvida especialmente para atrair o público internacional para o evento, como rodadas de negócios, debates e seminário. Para os amantes da aviação, mas que não necessariamente estão inseridos no universo de negócios e debates do segmento, o IBAS terá uma programação especial com exposição de aeronaves e equipamentos, shows aéreos, simuladores de voo, atividades recreativas, espaço kids, venda de souvenirs e exposições culturais.

SERVIÇO:

International Brazil Air Show (IBAS)


Data: 29 de março a 2 de abril de 2017

29 a 31 de março (quarta a sexta-feira)

FEIRA: das 12h às 20h | SEMINÁRIOS: das 09h às 19h

01 e 02 DE ABRIL (sábado e domingo): das 10h às 18h

Local: Aeroporto Internacional Tom Jobim / Rio de Janeiro





fonte: smfcomunicacao
SHARE
Banner

Comentar: