Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Airbus Defence and Space vence contrato de 200 milhões de euros da ESA para o segundo módulo de serviço da cápsula espacial tripulada Orion, da NASA


A Europa fornecerá propulsão e apoio vital aos astronautas que estiverem em missões além da Lua. A primeira missão tripulada está planejada para 2021 e iniciará uma nova era da exploração humana nas profundezas do espaço.

A Airbus Defence and Space, segunda maior empresa espacial do mundo, assinou um novo contrato com a Agência Espacial Europeia (ESA, em inglês) para a construção do segundo módulo de serviço europeu (ESM), que fará parte da nave espacial Orion, da NASA. O contrato vale cerca de 200 milhões de euros. O ESM é um elemento-chave da Orion, a nave espacial da nova geração que levará, pela primeira vez desde o fim do programa Apollo, os astronautas para além da órbita baixa terrestre.

O módulo fornece propulsão, potência e controle térmico, além de garantir aos astronautas água e oxigênio para suas missões mais distantes, como para Marte. O ESM é instalado embaixo do módulo da tripulação. A ESA selecionou a Airbus Defence and Space como principal fabricante para o desenvolvimento e construção do primeiro ESM, em novembro de 2014.

“Com este contrato de fabricação, estamos muito motivados para continuar a apoiar a missão espacial pioneira da NASA. Isso confirma a confiança que os nossos clientes ESA e NASA, bem como nosso parceiro industrial Lockheed Martin Space Systems, têm em nossa experiência e competência – a confiança que eles já colocaram em nós para o desenvolvimento e a construção do módulo de serviço europeu”, afirma Nicolas Chamussy, chefe de Sistemas Espaciais. “Nós entregamos produtos confiáveis e de última geração devido a esse programa e aos nossos investimentos contínuos. Nós podemos garantir uma vantagem tecnológica”.

Mais de duas mil peças e componentes serão instalados no modelo de voo ESM, desde equipamentos elétricos a motores de foguetes, painéis solares, tanques de combustível e materiais de suporte de vida, bem como centenas de metros de cabos e tubos. A integração do primeiro modelo de voo está em pleno andamento desde maio de 2016, enquanto a integração do segundo está prevista para meados do próximo ano.

O segundo voo de teste da nave espacial Orion e o primeiro voo com o foguete Space Launch System, da NASA, são conhecidos como Exploration Mission 1. Essa missão levará o veículo espacial não tripulado a mais de 64 mil quilômetros além da Lua, a fim de demonstrar o desempenho da nave espacial. A primeira missão com tripulação – Exploration MIssion 2 – terá lugar já em 2021.

O projeto da nave espacial Orion permite que os astronautas sejam transportados para lugares no espaço mais distantes do que nunca. A espaçonave transporta a tripulação para o espaço, possui ejeção da capsula de emergência, que permite um suporte de vida para a tripulação durante o voo e um retorno mais seguro para a atmosfera terrestre, mesmo em velocidade extremamente alta. Com missões planejadas para além da Lua, incluindo para um asteroide redirecionado para a órbita lunar, a NASA está se capacitando a enviar humanos à Marte, e inaugurar uma nova era de pesquisa espacial que está começando. 

O ESM é um cilindro com uma altura e diâmetro de cerca de quatro metros. Como o Veículo de Transferência Automatizado (ATV) tem um painel solar de quatro asas distintas (19 metros de diâmetro quando abertas), que gera energia suficiente para iluminar duas casas. As 8,.6 toneladas de combustível do módulo de serviço podem alimentar um motor principal e 32 propulsores menores. No total, o ESM pesa pouco mais de 13 toneladas. Além de sua função como o principal sistema de propulsão para a espaçonave Orion, o ESM será responsável pela manobra orbital e controle de posição. Ele também fornece à tripulação elementos centrais de suporte à vida, como água e oxigênio, além de regular o controle térmico enquanto ele está ancorado para o módulo de tripulação. O módulo de serviço não pressurizado também pode ser usado para transportar carga adicional.

Para o desenvolvimento e construção do ESM, a Airbus Defence and Space pode contar com sua vasta experiência como fabricante principal do ATV não tripulado da ESA, que forneceu à tripulação a bordo da Estação Espacial Internacional entregas regulares de equipamentos de teste, peças, comida, água, assim como combustível.





fonte: Airbus / JeffreyGroup Brasil
SHARE
Banner

Comentar: