Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

TRÁFEGO LISBOA - BRASIL CAIU 17,4% NO MÊS DE JUNHO E ACABA SEMESTRE EM QUEDA DE 13%


Os voos de/para o Brasil, outrora um dos ‘motores’ de crescimento do Aeroporto de Lisboa e da TAP, registaram no primeiro semestre uma quebra de 13% ou quase 93 mil passageiros, que em vários meios é imputada à crise económica e política brasileira, que é real, mas que não impede o crescimento do fluxo de/para Espanha.

Dados do Aeroporto de Lisboa a que o PressTUR teve acesso indicam que nos primeiros seis meses deste ano teve 622,6 mil passageiros de voos de/para o Brasil, ainda mais 123 mil que o conjunto dos aeroportos espanhóis e mais 182,4 mil que o Aeroporto de Madrid.

Porém, comparando com o primeiro semestre de 2015, em que Lisboa teve 715,4 mil passageiros de voos de/para o Brasil, mais 269,5 mil que os aeroportos espanhóis e mais 296,8 mil que o Aeroporto de Madrid, essa distância encurtou-se este ano em 54,3% e relativamente ao conjunto dos aeroportos espanhóis e 38,5 em relação ao Aeroporto de Madrid.

Os dados recolhidos pelo PressTUR mostram que o movimento de passageiros de voos de/para o Brasil no Aeroporto de Lisboa o último mês em que teve crescimento foi em Novembro passado, em 3%, para 103,4 mil.

Esse aumento não evitou, porém, que o ano de 2015 se saldasse por uma queda em 3,7%, para 1,485 milhões.

Este ano, todos os seis meses já completados foram de quedas, nos primeiros dois a um dígito (-7,4% em Janeiro, para 128,7 mil, e -7,3% em Fevereiro, para 103,3 mil), mas nos seguintes a dois dígitos, atingindo um ‘pico’ de 19,7% em Março, que foi o mês mais fraco deste ano, com 86,7 mil passageiros, apesar de a Páscoa mais cedo (27 de Março) que em 2015 (5 de Abril) favorecer a comparação.

Seguiram-se, no segundo trimestre, quedas de 15,8% em Abril, para 92,1 mil, 11,2% em Maio, para 103,1 mil, e 17,4% em Junho, para 108,6 mil.

As duas principais rotas brasileiras não escaparam à tendência global do tráfego Portugal - Brasil, mas evidenciaram resiliência.

Os voos entre Lisboa e São Paulo, maior rota brasileira no Aeroporto Humberto Delgado, terminaram o primeiro semestre com uma queda de passageiros, mas de apenas 1%, para 132,5 mil, e, melhor ainda, com crescimento em todos os meses do segundo trimestre, de 1,6% em Abril, 5,4% em Maio e 7,6% em Junho, que foi o melhor mês do ano com 25,8 mil passageiros.

As ligações com o Rio de Janeiro, segundo maior rota brasileira em Lisboa, também tiveram queda no semestre, mas em 7,7%, para 112,6 mil.

O ‘grosso’ da queda nas ligações com o Brasil está assim nos voos de/para outros aeroportos brasileiros, que no passado contavam-se mensalmente entre as 40 origens/destinos com mais passageiros e este ano apenas figuraram algumas em Janeiro (Salvador com -5,6%, Fortaleza com -6,4%, Recife com -9,5%, e Brasília com -11,8%) e menos em Fevereiro (Salvador com -9,9%, Fortaleza com -12,6% e Recife com -8,4%).

Desde então mais nenhuma dessas outras rotas, incluindo Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza e Belém, figurou no Top40 do Aeroporto de Lisboa.



fonte: presstur



SHARE
Banner

Comentar: