Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Infraero instala novo monitor de temperatura no Terminal de Cargas de Vitória


O Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto de Vitória/Eurico de Aguiar Salles (ES) conta agora com um sistema de monitoramento eletrônico de temperaturas de suas câmaras refrigeradas. O equipamento avalia, configura e armazena continuamente dados de temperatura, umidade, tempo, pressão e voltagem, permitindo a modificação dos parâmetros de operação dos instrumentos com total segurança e precisão, em tempo real. Foram adquiridas cinco unidades, totalizando investimentos de R$ 2,83 mil.

Instalada no mês de março, a ferramenta proporciona maior controle e segurança, eliminando a necessidade de fazer o controle de temperatura manualmente. Isso possibilita que o Teca capixaba amplie o volume de cargas movimentadas, já que alguns produtos, como itens farmacêuticos e médico-hospitalares, necessitam de temperaturas específicas para serem armazenados.

O aparelho foi adquirido visando a atender a exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quanto à necessidade de monitoramento e controle das áreas refrigeradas. É composto por aparelhos conhecidos como “data-loggers”, que obtêm as informações das áreas vistoriadas a cada 5 minutos e são descarregadas em um computador com software próprio via porta USB.

Outros aeroportos do país também utilizam o monitoramento eletrônico de temperatura, como Manaus (AM), São Luís (MA) e Porto Alegre (RS). As câmaras frias são usadas pelos clientes desses terminais que têm cargas que precisam ser armazenadas em locais com temperatura e umidades controladas.


Sobre o Teca de Vitória


O Teca de Vitória conta com uma área de armazém alfandegado de aproximadamente 2.200 m², sendo que aproximadamente 78 m² representam a área das câmaras refrigeradas. Em 2015, o Teca capixaba movimentou 3.276 toneladas em produtos, com amplo destaque para o seguimento de importações, que respondeu por mais de 95% desse total. A maior parte das cargas recebidas pelo terminal foi peças das indústrias de tecnologia e de informática, como componentes eletroeletrônicos, além de cosméticos, tecidos, vestuários, e medicamentos.





fonte: Imprensa – Infraero



SHARE
Banner

Comentar: