Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Viagem aérea: o futuro está conectado


Nos próximos três anos, os passageiros vão desfrutar ainda mais do autosserviço em companhias aéreas e aeroportos, já que a "Internet das Coisas" (IdC) “embarca” nas viagens. Esse resultado consta no relatório The Future is Connected, produzido pela SITA, líder global em soluções de TI para a indústria de transporte aéreo.

Hoje, 83% dos passageiros carregam um smartphone, atual tecnologia unificadora do transporte, que irá proporcionar uma experiência conectada do começo ao fim. O relatório da SITA mostra que os smartphones estão remodelando o comportamento da viagem, com taxas de crescimento de cerca de 80% ou mais nas fases de check-in e embarque. Está claro que os passageiros estão ansiosos para utilizar a sua própria tecnologia.

O trabalho de base por parte da indústria de transporte aéreo para o estabelecimento da infraestrutura e processos que permitem experiências de viagem únicas está no caminho e ganha cada vez mais força. Ao longo dos próximos três anos, a grande maioria das companhias aéreas e os aeroportos planeja investir em serviços móveis para os passageiros e a maioria dos aeroportos também pretende financiar processos de autoatendimento. 

A análise da SITA mostra que, durante o mesmo período, o Programa de Viagem Rápida da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) irá atingir um limiar crítico. A meta da IATA é conseguir uma experiência de autosserviço para 80% dos passageiros globais até 2020. Esta expectativa abrange seis fases essenciais na jornada: o check-in, despacho de malas, digitalização de documentos, autoembarque, remarcação de voos e recuperação da bagagem. No ano passado, a iniciativa atingiu 29% dos passageiros e tem o objetivo de chegar a 40% este ano. O relatório da SITA apresenta uma análise detalhada da prontidão das companhias aéreas e aeroportos em cada etapa da viagem e a perspectiva de adoção desses processos até 2018.

Nigel Pickford, diretor de mercado da SITA, diz: "A indústria do transporte aéreo já adotou o autosserviço e agora está se voltando para a "Internet das Coisas" para proporcionar uma experiência mais conectada aos viajantes. Metade das companhias aéreas espera ter iniciativas da Internet das coisas em funcionamento nos próximos três anos, enquanto os aeroportos preparam a infraestrutura para dar suporte à Internet das Coisas. Juntos, vão entregar operações melhores e vão levar a uma mudança radical na experiência do passageiro".

The Future is Connected é uma pesquisa global da SITA com comentários e estudos de casos de aeroportos e companhias aéreas que estão se movendo para viagens totalmente conectadas. Os destaques apresentados incluem Changi Airport Group, Aeroporto Internacional de Mumbai, Air New Zealand, o Aeroporto Internacional de Miami, juntamente com as perspectivas da indústria do Conselho Internacional de Aeroportos (ACI).

Para mais detalhes, baixe o relatório completo da SITA - The Future is Connected.

Sobre a SITA

A SITA é líder mundial em comunicações de transporte aéreo e soluções de TI. Propriedade da indústria, a SITA fornece soluções para as companhias aéreas, aeroportos, governos e GDS, a mais extensa rede de comunicações do mundo. Seu portfólio abrange todos os aspectos da indústria de comunicações globais gerenciados para passageiros, bagagem, voo e operações de aeronaves, gestão das fronteiras e ar-terra comunicações. Com presença em mais de mil aeroportos em todo o mundo, a SITA fornece um serviço exclusivo para seus 430 membros da indústria de transportes aéreos e 2.800 clientes em mais de 200 países. Em 2014, a SITA teve receita consolidada de US$ 1,7 bilhão.




fonte: ideia casada
SHARE
Banner

Comentar: