Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Siemens revela motor elétrico de 260 KW para aeronaves


O futuro dos aviões movidos a bateria acaba de receber um grande impulso. Um grupo de pesquisadores da Siemens, na Alemanha, anunciaram que conseguiram desenvolver um novo motor elétrico para aeronaves que é 5 vezes mais potente do que os motores da geração anterior.

Pesando pouco mais de 50 Kg, o novo motor tem potência de 260 KW, o que equivale a um motor a pistão movido a gasolina de 350 hp. Em comparação, no ano passado a Siemens, Airbus e Diamond Aircraft testaram uma aeronave elétrica com motor de apenas 60 KW.

Segundo os pesquisadores, graças ao enorme aprimoramento da relação peso x potência, aeronaves maiores com peso máximo de decolagem de até 1.800 Kg poderão utilizar motores elétricos pela primeira vez.

Para desenvolver o novo motor, a Siemens estudou cada componente dos motores anteriores e otimizou-os até atingir seu limite tecnológico. Novas técnicas de simulação e de construção leve permitiram atingir uma relação de 5 KW por Kg de peso. Motores comparáveis utilizados em aplicações industriais entregam menos de 1 KW por Kg, enquanto motores elétricos automotivos oferecem cerca de 2 KW por Kg.

E devido ao motor entregar este desempenho a uma rotação de apenas 2.500 rpm, ele pode movimentar hélices diretamente, sem a necessidade de engrenagem de redução, que acabam consumindo energia e consequentemente diminuindo a eficiência do sistema.

“Esta inovação torna possível construir aviões híbridos de 4 ou mais passageiros,” disse Frank Anton (Foto), diretor do eAircraft, o programa de aviões elétricos da Siemens.

Os voos de teste com o novo motor estão programados para o final deste ano. Segundo os pesquisadores, o próximo passo é aumentar ainda mais a potência do motor. Ainda não há informações sobre a autonomia de um avião equipado com o novo motor, mas os pesquisadores da Airbus buscam ultrapassar as 4 horas de voo incluindo reservas.

“Estamos convencidos de que o uso de motores híbridos é uma real possibilidade de médio prazo em aeronaves comerciais de 50 a 100 passageiros,” disse Anton.



Redação FlightMarket
Fonte: Siemens
SHARE
Banner

Comentar: