Meu título conteúdo da página

.

.

Arquivo

Navigation

Levantamento encontra falhas de segurança no Aeroporto Pinto Martins

https://www.facebook.com/infoaviacao

Apesar dos atrasos em obras de diversos aeroportos do País, a presidente Dilma Rousseff disse ontem, em seu programa semanal de rádio, que os terminais estarão preparados para oferecer bom atendimento aos passageiros em trânsito durante a Copa, que começa daqui a 23 dias. Ela destacou, no entanto, que ainda mais importante que atender o Mundial será absorver a crescente demanda dos brasileiros pelo transporte aéreo.

"Nossos aeroportos estão preparados para oferecer um bom atendimento a todos que vierem assistir à Copa do Mundo. O mais importante é que eles estão ficando prontos para oferecer a nós mesmos, brasileiras e brasileiros, bons serviços, como merecemos e queremos", disse a presidente no programa semanal de rádio "Café com a Presidenta".

Dilma, que inaugura hoje o novo terminal do Aeroporto de Guarulhos, citou as ampliações em diversos aeroportos de capitais dos Estados, mas admitiu que as obras ainda estão em curso. "Quem passar hoje pelos aeroportos da maioria das nossas capitais vai notar que a poeira e o barulho estão diminuindo, e os tapumes estão sendo retirados para dar lugar a instalações modernas e confortáveis. É claro que eles vão servir à Copa, mas, além de tudo, eles são investimentos no bem-estar do nosso passageiro, no bem-estar desses milhões de brasileiros que passaram a ter renda suficiente para comprar sua passagem de avião e viajar", completou.

Além de Guarulhos, Dilma elencou os investimentos feitos nos aeroportos de Brasília (DF), Galeão (RJ), Confins (MG), Cuiabá (MT), São Gonçalo do Amarante (RN) e Manaus (AM). Para a presidente, a concessão de aeroportos para a iniciativa privada em parceria com a Infraero tem gerado "resultados muitos bons".

Demanda

Dilma destacou o crescimento do número de passageiros nos aeroportos brasileiros, que saltou de 33 milhões em 2003 para 111 milhões no ano passado. "Até a década passada, os aeroportos só serviam a uma pequena elite, a uma pequena parcela da população, uns poucos privilegiados que andavam de avião. Agora não", afirma.

Subsídios

Por fim, a presidente abordou os investimentos de R$ 7,3 bilhões prometidos para construção, reforma e ampliação de 270 aeroportos regionais. O objetivo é oferecer ao passageiro aeroportos próximos aos locais onde ele mora ou trabalha. "Nós já concluímos os estudos de viabilidade de 163 aeroportos, e agora estamos na fase de elaboração dos projetos de engenharia. Os demais estudos vão prosseguir. No total, temos R$ 186 milhões em contratos de projetos já assinados e em execução", detalhou.

Caso as empresas aéreas não consigam encher as aeronaves rumo aos aeroportos de cidades menores, Dilma garantiu que o governo subsidiará 50% dos assentos ou até 60 assentos por aeronave para manter as rotas voos regulares para esses aeroportos, e aproximar o preço da passagem de ônibus e avião, democratizando ainda mais o acesso ao transporte aéreo.

Proteste vê falhas no 'Pinto Martins'

Ausência de sinalização de emergência e rotas de fuga e obstrução de corredores, saídas e passagens foram algumas das falhas encontradas nos 14 aeroportos das 12 cidades-sede da Copa do Mundo, constatados em um levantamento feito pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). A pesquisa, realizada entre fevereiro e maio, verificou as condições de segurança, conforto e higiene dos terminais de passageiros.

No Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, além das obras inacabadas e de uma expansão suportada por um "puxadinho", os passageiros enfrentam sinalização de emergência deficiente e banheiros com estrutura precária. A mesma situação foi verificada nos terminais de Porto Alegre e Manaus. Nos aeroportos da capital amazonense e de Belo Horizonte, segundo a pesquisa, qualquer pessoa pode entrar em setores de alto risco, que deveriam ter o acesso restrito.

Uma das situações mais graves constatadas na pesquisa foi a do Aeroporto Augusto Severo, em Natal, onde um vão existente entre a escada rolante e o guarda-corpo do primeiro piso deixa espaço suficiente para uma criança passar por ele, semelhante ao ocorrido no início do ano, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Adequação às normas

Questionada sobre a situação do Aeroporto de Fortaleza, a Infraero informou, por meio de nota, que o terminal é sinalizado, inclusive com as orientações das saídas de emergências existentes. O órgão reforçou que cumpre as determinações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em relação às normas de segurança.

Já a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros do Ceará informou que a manutenção do aeroporto é responsabilidade da Infraero, mas que a corporação pode orientar o órgão quanto às medidas de seguranças adequadas para o terminal.
 
https://www.facebook.com/infoaviacao
 



fonte: Diário do Nordeste
SHARE
Banner

Comentar: